jeudi, février 24, 2005

Fotos da viagem - Parte I

Compramos um celular!!! Quem quiser o numero, é so pedir!
Nos tiramos muuitas fotos. Entao, vamos colocar em 3 partes: agora colocaremos as fotos da Holanda, depois de Bruges, e, depois, Bruxelas e Paris. Muita gente estava pedindo para nos aparecermos mais nas fotos, entao fizemos um esforço...



O predio ao fundo é a estaçao de trem de Amsterdam, que é linda.



Esse predio ficava entre a estaçao de trem e nosso albergue. Nao sabemos o que é, mas achamos legal.







Essas fotos sao todas da praça Dam, um dos pontos turisticos mais famosos de Amsterdam.





Essa é a Rembrandt House, a casa onde o Rembrandt morou por muitos anos, ate ser despejado por falta de pagamento. Lindo o novo visual do Bruno, ne?



Esse é o jardim do Rijksmuseum. Foi um alivio quando chegamos nesse jardim - no caminho pra la começou a nevar muito forte! Mas ainda assim, paramos pra tirar a foto... era muito lindo...






Essas fotos foram todas tiradas no passeio de barco que fizemos. Foi nosso primeiro passeio de barco...
Essas fotos sao so Amsterdam. Um predio legal, uma vista bonita, muitas vezes perdidos, outras em caminhos pelos quais passavamos todos os dias.
Por fim, Rotterdam. So tiramos uma foto, muito embora tenhamos adorado o dia que passamos la. A partir do predio que aparece nessa foto é possivel ter uma ideia de como é a cidade.

lundi, février 21, 2005

Ultimo dia de ferias

Acabou a folga! As aulas ja recomeçaram com tudo, e em duas semanas teremos prova de econometria. Mas o ultimo dia de ferias foi muito bom! Fomos passar o dia em Paris, que é, sem duvida nenhuma, a cidade mais linda que ja visitamos.
Entre Bruxelas e Paris pegamos tanta neve que o trem teve que parar no meio do caminho, e, quando chegamos em Paris, estava nevando um pouco. Fomos direto para a Basilique du Sacre Coeur, que é muito bonita. Subimos ate a cupula dela, por uma interminavel escadinha em caracol, totalmente fechada e estreitérrima. Eu fiquei totalmente tonta, com claustrofobia e morrendo de medo de encontrar uma aranha no caminho. Mas segurei firme e fiquei acalmando o Bruno, que tem medo de altura e de cair em escadas em caracol (diz ele que é morte certa). A vista é muito legal. Começou a nevar bastante quando estavamos la em cima, valeu a pena. Demos a volta na cupula, tiramos foto, e tal, e descemos. Chegando la embaixo, quem disse que a gente conseguia sair! A porta so abria pra um lado, e ainda assim so colocando o ticket na roleta! A gente tentou de tudo q é jeito abrir a tal porta, e foi chegando mais gente, e todo mundo preso em um micro espaço... ate que o Bruno, em um ato heroico, tomou uma atitude: passou por baixo da porta e foi colocar os nossos tickets na roleta. So que nao funcionou. Ele foi catar alguem pra nos tirar de la, e voltou com um funcionario da igreja, que disse pra a gente subir de novo porque a saida era por outro lado. Como so eu e o Bruno falavamos frances, e eu sou a esquentada do casal, la fui eu discutir com o cara. Nunca, mas nunca q eu ia subir aquilo tudo de novo! Acabou que um americano que estava preso com a gente comprou outro ticket e o funcionario nos ajudou a sairmos todos de la com um so ticket.
Depois, fomos passear no Sena. O passeio foi bem legal, Paris é maravilhosa (nao vou cansar de repetir), pena que nao dava pra entender o que a guia falava, nem em Frances nem em Ingles. Mas na verdade isso nao fez diferença nenhuma, a gente sempre esquece tudo que esses guias falam. Depois, fomos ate a Place de la Concorde, onde passamos o Reveillon. A praça estava bem diferente, sem a montanha de gente e com carros passando. Acho que la é um dos lugares mais lindos de Paris. O obelisco é muito legal, e de la da pra ver o Arco do Triunfo, a torre Eiffel, o jardim do Louvre, o Dome dos Invalides...
A noite, pegamos nosso trem, e agora estamos aqui, na faculdade. Mas foi muito bom voltar pra casa, pra essa cidadezinha maravilhosa. Estamos adorando isso aqui!
PS: mudei o horario! Agora ai em baixo aparece o horario aqui da França, e nao o do Brasil.

samedi, février 19, 2005

Mil visitas e Bruxelas

Ja sao novecentas e cinquenta e poucas visitas! Nao esqueçam de olhar o contador sempre que entrarem, a milesima visita aproxima-se! Ai é so deixar um comentario pra receber um cartao postal nosso! Pra quem nao se lembra é so clicar aqui.
Estamos em Bruxelas, a capital europeia. O que mais tem por aqui é embaixada, e parlamento disso, e palacio daquilo. Sao muitos predios publicos, quase toda a cidade é isso. Alias, a embaixada americana é algo à parte: parece uma guerra, sao dois furgoes com homens armados ate os dentes nos dois limites da embaixada, diversos seguranças armados entre esses furgoes, arames farpados, rua trancada, e, evidentemente, porta giratoria com detector de metais, aquela coisa toda. Semana que vem parece que o Bush vai estar por aqui, vimos um jornal orientando os moradores a respeito de como fugir dos inconvenientes que a indesejada visita vai causar.
Ontem so demos uma volta nos arredores do albergue, e nao achamos a cidade nada de mais. Hoje fomos mais longe, e descobrimos que Bruxelas é uma cidade linda. Na verdade, deu vontade de vir morar aqui. A Grand Place, a principal praça daqui, é simpesmente maravilhosa. Trata-se de uma praça normal, mas rodeada de predios esplendidos - o Hotel de Ville, um museu, e alguns estabelecimentos comerciais. Victor Hugo disse ser essa a praça mais bela da Europa. Dai da pra imaginar o que é a tal praça, ne... O Manneken Pis, o gurizinho mijao que é o simbolo de Bruxelas, nos decepcionou um pouco. é uma estatuazinha mini, muito pequena mesmo, num canto da rua. Esperavamos uma fonte, no meio de uma praça, com uma estatua grande, e tal, tanto que quando o vimos, nem acreditamos que aquilo era o Manneken Pis: achamos que era uma replica, uma miniatura, sei la. Mais tarde, fizemos um city tour, que valeu muito a pena. Conhecemos o tal atomo, que é bem grande, o Palacio do Rei da Belgica, e diversos outros pontos importantes e lindos da cidade que passariam em branco.
Embora tenhamos descoberto que Bruxelas é muito legal, achamos que 2 dias foram suficientes por aqui. Entao, adiantamos nossa passagem, e amanha passaremos o dia em Paris. Amanha de noite, ja estaremos de volta à nossa casinha...

jeudi, février 17, 2005

Bruges

Essa simpatica cidadezinha de cerca de 6 km quadrados e, de certa forma, o oposto de Rotterdam. Totalmente turistica, historica, cheia de paisagens e vistas lindas, mas com o mesmo sal nos precos e a mesma lingua incompreensivel. De certa forma, e guardas as proporcoes, ela lembra Gramado, toda bonitinha, arrumadinha, com casinhas bonitinhas, chocolaterias por todos os lados, lojas de souvenirs e de marcas famosas (Cristais Swarovsky, Tommy Hillfiger, etc.).
Nos lemos em um guia de viagem disponivel no nosso albergue cristao em Amsterdam que a melhor coisa a se fazer em Bruges e se perder. E, realemnte, e verdade, a cada rua, a cada esquina, surge um predio, ou uma igreja, ou uma ponte, ou simplesmente uma vista imperdivel. Infelizmente, poucos lugares turisticos tem acesso gratuito. As unicas coisas de turista que fizemos foi entrar numa Basilica e andar de barco pelos canais da cidade, e ambos valeram a pena. O interior da Basilica e lindo, o interior de igreja mais bonito que ja vimos aqui na Europa. O barquinho, embora nao fosse possivel entender o ingles do condutor, tambem foi bem legal - adoramos esse tipo de passeio, ja o tinhamos feito em Amsterdam. Como a cidade e super pequena, praticamente vimos toda ela ja no primeiro dia, e hoje so demos mais uma volta e vimos os moinhos que ainda nao tinhamos visto.
Amanha de manha partimos para nosso ultimo destino das ferias, Bruxelas, capital da Europa. La, pelo que sabemos, falam frances, e nao essa lingua que nem sabemos o nome. Alias, alguem sabe se a lingua que falam nessa parte da Belgica e a mesma falada na Holanda? E se for, qual e? Flanders, Holandes? Alguem, por favor, nos tire dessa ignorancia...

mercredi, février 16, 2005

Susto

Estamos em Bruges, que e uma cidade muito linda, mas muito fria. Alias, parece que cada cidade nova que visitamos aqui e mais fria que a anterior. Mas entre Amsterdam e Bruges, muitas coisas aconteceram...
Saimos de Amsterdam ontem, as 10hs da manha. Nao acordamos muito bem ontem, e fomos do albergue ate a estacao de trem brigados, sem se falar muito. Estamos, hoje, bem mais achados em estacoes de trem do que no comeco da viagem, sabemos onde olhar as coisas, onde perguntar, etc. Mas em Amsterdam era simplesmente impossivel achar a plataforma do nosso trem, era tudo, tudinho em holandes. Entramos em um trem que pensamos ser o nosso, mas nao tinhamos certeza absoluta, entao o Bruno saiu pra ver o numero do trem - isso tudo com nos dois brigados. Eu fiquei sentada, olhando pela janela e esperando. Eis que, de repente, escuto um barulho de porta fechando e umas batidas: o Bruno tinha ficado fora!! Eu levantei, apavorada, e fui tentar abrir a porta. Tentei de tudo que e jeito, apertei todos os botoes que enxerguei, puxei a porta de todos os jeitos possiveis, mas nada adiantou. Quando o trem comecou a andar, eu me desesperei. Milhares de coisas passaram pela minha cabeca, que o Bruno estava sem as passagens, que nos nao teriamos como nos comunicar (a gente nao tem celular aqui), que ficariamos os dois perdidos na Europa... Eu quase quebrei o vidro do trem de tanto bater, eu gritava para as pessoas: "It's my boyfriend, he's outside!" E eis que eu escuto uma voz tranquilizadora: "Ana!" Era o Bruno! Nos nos abracamos, e eu comecei a chorar. Chorei muito, todas as lagrimas contidas da nossa briga, do medo de perder ele e do alivio do reencontro. Desde entao, a viagem foi muito boa.
O Bruno conta que estava la fora tentando achar o numero do trem quando, do nada, com diversas pessoas ainda fora do trem, as portas fecharam. Eu, que estava dentro, tambem achei que as portas fecharam do nada. Ai ele saiu correndo, batendo de porta em porta, ate que ele viu uma ao longe ainda nao totalmente fechada. Ele se atirou nessa porta, que continuou fechando com ele no meio, ate que ele conseguiu abrir totalmente a porta e entrar no trem.
Apos o susto, nosso passeio por Rotterdam foi muito agradavel. E uma cidade super moderna, limpa, com predios muito bonitos e luxuosos. Nao e uma cidade turistica, mas gostamos de ter visitado. Ficamos o dia inteiro passeando por la, sem rumo, so cuidando para nao sermos atropelados pelos bondes, com quem os pedestres tem que dividir a calcada em Rotterdam. De noite, viemos para Bruges. Mas, de Bruges, falamos depois.

lundi, février 14, 2005

Ultimas 48 horas em Amsterdam...

Hoje e o nosso ultimo dia em Amsterdam. Ontem foi um dia bem cansativo, fomos no Rijksmuseum - tem uns quadros do Vermeer e outros do Rembrandt - e no Museu do Van Gogh, que guarda a maior colecao das obras do artista em todo o mundo - muito legal esse!
Quando chegavamos no Rijks, apos a ventania ja ter destruido o nosso guarda-chuva, eis que a chuva se transforma em neve, e comeca uma semi-nevasca, a maior que pegamos ate agora aqui na Europa. Alias, essa e a cidade mais fria que ja visitamos! Andamos cheios de roupas, e parece que estamos so com uma camisetinha.
Hoje, percorremos os canais que permeiam toda a cidade a bordo de um confortavel barquinho isolado do frio. Muito legal o passeio, conhecemos bastante da cidade, e fomos ate o porto de Amsterdam com ele. Alem disso, so andamos mais pelas ruelas daqui, e fizemos umas pequenas comprinhas, aproveitando o final da liquidacao que assola toda a Europa.
Amanha, vamos passar o dia em Rotterdam, e dormir em Bruges. Pra quem esta esperando resposta de e-mail, espere mais um pouco, oportunamente responderemos.

samedi, février 12, 2005

Amsterdam

E incrivel, a cada viagem a gente resolve deixar Poitiers mais cedo. Dessa vez, partimos ontem às 07:18 da manha pra Paris, onde fizemos a conexao pra Amsterdam. A viagem foi muito boa, embora tenha durado ao todo quase sete horas! Viajar de trem cansa muito menos do que de onibus, e a vista a partir de Bruxelas e simplesmente linda, o trem atravessa varias cidadezinhas, numa conurbacao que so termina em Amsterdam. Chegando aqui, nossa primeira surpresa foi na estacao de trem: tivemos que pagar para obter um mapa da cidade. Mais tarde descobririamos que tudo nessa cidade e cobrado, desde o banheiro ao catchup e maionese do Burger King. Deve ter sido arrancando dinheiro de turistas desse jeito que esse paísinho cresceu tanto e hoje tem uma economia maior que a do Brasil! Bom, a estacao e linda, a cidade e toda entrecortada por diversos canais, aquelas casas tipicamente holandesas, todas grudadas, que nem imaginavamos antes. O transito aqui e caotico, meio desorganizado, mas de alguma forma funciona bem, apesar das incontaveis bicicletas que andam pelas ruas dessa cidade. Muitas vezes nao da pra saber se estamos na rua ou na calcada. O nosso albergue e cristao, quem toma conta e um grupo de jovens bem fervorosos, por assim dizer, do tipo que fica cantando musiquinha religiosa, com direito a discussoes biblicas toda noite no cafe. E o mais engracado e que ele fica no meio do Red Light District, uma famosa zona de prostituicao onde as mulheres ficam expostas na vitrine, chamando os cliientes, em geral so de biquini (e olha que tem muita mulher bonita ali!). Pra chegar aqui, passamos por varias dessas, e em cada esquina tem uns dois caras oferecendo cocaina e ecstasy, que nao podem ser vendidas nos cafes. Alias, desses tem muitos, alem de varias lojas especializadas em apetrechos pra fumar maconha. Pelo jeito, os negocios relacionados a drogas e sexo (tem milhares de sex shops e casas de shows com sexo ao vivo) movimentam muito dinheiro por aqui.
Ontem demos uma volta aqui pelo Red Light District, e fomos ate a praca Dam, bem interessante. Hoje, ja descansados, fomos na Casa do Rembrandt, onde e reconstituida a casa em que ele moru durante um certo tempo no seculo XVII. Varias obras de sua antiga colecao pessoal estao expostas la, bem como o atelier onde ele pintava, e diversos pequenos grafites de sua autoria.
Depois, fomos no Museu do Sexo, que conta a historia do sexo ao longo das eras. Nao e muito legal, nada de mais, a Ana nao gostou nem um pouco, alias. Dali, saimos andando ate a casa da Anne Frank, mas a fila pra entrar era imensa, e julgamos que o preco nao compensava a visita. O Museu da Maconha tambem, nem entramos porque era muito caro.
Mais algumas coisinhas sobre Amsterdam: todos, desde a faxineira do McDonald's, falam ingles; o clima da cidade e mais pesado do que nas outras cidades da Franca, talvez por causa do clima provocado pela industria do sexo e pela presenca de muitos traficantes na rua. Mas, mesmo assim, Amsterdam conserva o charme europeu, como se fosse um amalgama de Europa e Estados Unidos. Enfim, estamos adorando essa cidade.

mercredi, février 09, 2005

Carnaval + Cartao Postal

Agora eu entendo porque dizem que o Brasil é o pais do carnaval. Ai, em qualquer cidadezinha nanica tem varias festas, ninguem trabalha, feriadao, todo mundo vai viajar e tal. Aqui, a gente nao teve um unico dia de feriadinho, aula todos os dias. Em plena terça-feira de carnaval nossos amigos brasileiros estavam tendo prova, e nos em aula, o dia inteiro.
Mas minto se disser que nao teve nenhuma comemoraçao: pra começar, sabado nos saimos, e tinha, digamos, 4 pessoas fantasiadas no local. E ontem foi o auge do carnaval aqui - teve o "Carnaval des Jouets", no centro. Começou as 4 da tarde, e 5 horas nos chegavamos da aula. Eu ate tinha levado maquina fotografica pra aula, e tal, pra fotografar a festinha de carnaval francesa, mas nao fotografei nada: acreditem, nao valia a pena.
No meio da praça tinha uma baleia gigante (???), e tinha uns vendedores de balao por la. Tinha umas crianças, uns adultos, e uma multidao de pre-adolescentes, todos sujos de ovo, farinha e confete. Alias, confete é o que mais tinha, ate jogaram em nos. Mas era so, nada bonito, nem animado, nem musica tinha. De noite tinha varias festinhas, carnaval pra la e pra ca, mas nos nao fomos.
Mas semana que vem, em compensaçao, ferias!!!! Vamos ficar 10 dias viajando: 4 em Amsterdam, 1 em Rotterdam, 2 em Bruges e 3 em Bruxelas. Acompanhem a viagem!
---------------------------------------------------------------
E prestem atençao no numero de visitas do blog: agora esta em torno de 830. Pois entao, quem for o milesimo visitante, deixa um comentario aqui em baixo e/ou nos manda um e-mail com nome e endereço: vai ganhar um cartao postal de onde estivermos... E olha que ainda nao mandamos cartao postal pra ninguem! Pra quem nao sabe ver o numero de visitas, é so olhar a direita, embaixo do quadrinho que da a temperatura de Poitiers.