mardi, avril 19, 2005

De volta pra casa....

Estamos de volta a Poitiers. Embora a viagem estivesse otima, melhor até que a pra Holanda e Belgica, foi muito bom chegar em casa, poder dormir na nossa caminha, sem ter que pagar hotel ou albergue... é incrivel como nos nos sentimos em casa nessa cidade!
No domingo, acordamos em Menton e resolvemos atravessar a fronteira e visitar algumas praias italianas - fomos até San Remo. Incrivel, mas atravessando o tunel que separa a França da Italia, indo de um pais a outro em poucos quilometros, da pra notar uma sensivel diferença entre os dois paises. O clima, o ar, o cardapio - ao invés de entrada e prato quente, la tinha entrada, primeiro prato quente e segundo prato quente (antipasti, primo plati e secondo plati, ou algo parecido)! - tudo era diferente na Italia. O mar era menos azul, as cidades pareciam mais pobres. Tivemos a impressao de que enquanto as francesas enriquecem com o turismo, as italianas ainda permanecem cidades de pescadores. Mas era muito legal escutar o povo falando italiano e gesticulando sem parar!
Da Italia, fomos direto para Avignon. Viagem longa, cansativa, cara ( ha muitos pedagios no sul da França!), mas deu tudo certo. Avignon nos pareceu uma cidade bem legal, nao muito grande, mas também nao muito pequena. Na praça central, a Place de l'Horloge, tinha varios restaurantes baratinhos e agradaveis, e acabamos jantando por la. Ficamos um tempo conversando com um cara, jovem como nos, que estava tocando violino na rua super bem, pedindo dinheiro, mas ninguém estava dando bola. Descobrimos que ele era americano, e que esta ha quase um ano viajando por toda a Europa, trocando de cidade, nunca ficando mais de uma semana em cada lugar. Como todo estrangeiro que encontramos por aqui, ele so sabe da existência de Porto Alegre por causa do Forum Social Mundial. Alias, geralmente quem conhece Porto Alegre por causa do Forum é um entusiasta das idéias dele...
Acabamos dormindo domingo em Avignon, e segunda de manha fomos conhecer o Palacio dos Papas e a Pont St-Benezet, famosa também. A ponte nao é nada de mais, e nem subimos nela porque tinha que pagar, o que achamos um absurdo. Ja o Palais des Papes é realmente muito bonito, e muito grande também. A visita é toda audioguiada, mas achamos que ela seria mais interessante se por dentro o Palacio estivesse mais reconstituido, como ele era na época dos Papas, do que como esta, cheio de miniaturas e quadrinhos explicativos, mais parecendo um museu. Mas gostamos do mesmo jeito.
De Avignon seguimos viagem para Clermont-Ferrand, outra viagem longa, mas muito legal. Atravessamos toda a regiao central da França, o Massif Central, uma regiao com vegetacao e relevo unicos por aqui. A estrada era na altura das nuvens quase, e pra nossa surpresa, atravessamos o famoso Viaduto de Millau, ficando nos ares, praticamente entre as nuvens, por mais de dois quilometros. O Viaduto é realmente surpreendente, faz por merecer sua fama, e demos sorte em termos passado por ele, pois mudamos nosso roteiro no dia anterior: nao fomos para Le-Puy-en-Velay devido a fortes nevascas que estavam assolando aquela regiao, o que descobrimos sem querer vendo a TV no hotel em Avignon.
Chegando em Clermont-Ferrand, nao simpatizamos com a cidade. Com certeza é a mais feia e a mais sem graça que visitamos até agora. Assim, como ainda era dia, e quanto mais pro Norte, mais tarde anoitece, resolvemos tocar viagem até Poitiers. A estrada era cheia de curvas, por meio dos morros, e chegamos a ver alguns dos vulcoes extintos que tem na regiao. Quando chegou a hora de pegar a estrada que levava pra Poitiers, dois problemas. Primeiro, descobrimos um grande defeito das estradas francesas: elas nao sao iluminadas à noite! Nem um unico refletor, so as placas refletindo a luz dos farois... E o segundo problema foi ainda pior: a estrada pra Poitiers estava bloqueda! Tivemos que pegar um desvio, por estradas menores, e acabamos chegando em casa quase à meia noite. Felizmente, o Quick - espécie de McDonald's francês - ainda estava aberto, e pudemos jantar bem.
Fim de viagem, fim da locaçao do carro. Hoje vamos la devolver nosso querido Megane, com quem conhecemos boa parte da França, e amanha voltamos à velha rotina de onibus pra ca, andar a pé pra la...