vendredi, août 12, 2005

Sobre tudo o que nao foi dito

Entre estudos e febres, esse blog vai ficando abandonado. Nao e falta do que contar, e falta de vontade mesmo. Nossa passagem pela Espanha passou quase em branco, e Londres esta indo na mesma direcao. Mas hoje vou aproveitar que vim para a internet em um horario em que a febre ainda nao acordou e vou contando um pouco do que faltou, enquanto espero o Bruno fazer a prova final do nosso curso. Quem estiver lendo, prepare-se. Se estiver sem tempo, volte depois. Esse post vai ser do tamanho da nossa ausencia virtual. Acontece que me dei conta que algumas coisas boas estavam comecando a ficar nebulosas na minha cabeca, e quero poder me lembrar de tudo isso no futuro, e acho legal compartilhar com voces tambem.
Espanha. Mucho calor, mucha fiesta, mucha playa... Chegamos em El Puerto de Santa Maria e tivemos a impressao que estavamos no faroeste. Uma micro estacao de trem, com dois trilhos e duas setas: para um lado, Cadiz, para o outro, Jerez de la Frontera, as "cidades grandes" perto do pequeno povoado no qual chegavamos. Do outro lado, um ceu sem nuvens, uma estrada deserta e muita areia. Definitivamente, era o faroeste. Ficamos esperando cerca de uma hora na estacao ate a secretaria da escola chegar para nos pegar. Ela, como todo mundo, ficou impressionada com a quantidade de malas que levavamos, disse que nao tinha se preparado para tanto, mas no fim entrou tudo no carro. Penso que ja descrevemos nossa casa, e nosso espanto com ela. Esperavamos um alojamento para estudantes, encontramos um apartamento grande praticamente so nosso. Digo praticamente porque, desde o comeco, viviamos com um espanhol, mas ele trabalhava o dia inteiro, e nos viamos muito pouco durante a semana. Esse espanhol era o Josan.
Josan e abreviacao de Jose Antonio, mas ele nao gostava de ser chamado assim, acho que porque era o nome do pai dele, e ele tinha uma relacao estranha com o pai. Nao sei bem o que houve, so sei que ele morava a uma quadra do nosso apartamento, mas eles nao se falavam ha anos. O Josan era protista, trabalhava em um laboratorio fazendo aparelhos, proteses, etc. para dentistas. A casa, na verdade, era da familia dele, e eles receberam estudantes estrangeiros por toda vida. A irma dele saiu de casa por que se casou, e a mae estava se mudando no dia em que chegamos - ia morar com o novo marido em Jerez. O Josan foi o unico que ficou, e agora recebia estudantes sozinho. No comeco, ele parecia bem legal, bem simpatico. Depois ele continuou legal e simpatico, mas nos demos conta que ele era meio chatinho. Ele sempre contava umas historias super compridas e extraordinarias, da ex namorada marroquina super rica e com o pai muculmano que era super liberal, aceitava o namoro deles e nem se importava de eles morarem juntos, da melhor amiga dele que pesava duzentos quilos e namorava um modelo que era o maior herdeiro do mundo... Legal o Josan. Pena que ele nao tinha email, perdemos totalmente o contato.
Depois de um tempo foi morar conosco um irlandes. No comeco eu nao entendia o que ele falava, muito diferente o ingles da Irlanda! Mas com o tempo fui me acostumando . O Steve era super legal, e era bom que praticavamos o ingles com ele e o espanhol com o Josan. Era classico: Chegavamos da aula e ele, que tinha chegado antes, estava almocando um sanduiche ou uma fruta, e ficava escandalizado que nos almocavamos lasanha. Depois saiamos pra praia (na verdade nunca saiamos juntos, sempre nos encontravamos la), passavamos o dia torrando no sol e nos refrescando do calor escaldante no mar. La pelas 7 voltavamos pra casa, e os tres assistiamos ao "Alla Tu!", um programinha meio besta mas legalzinho. De noite, quase sempre, iamos pro Farandula jogar dardos. O Steve era profissional! Iamos nos 3, o Abdul, o Per, e quase sempre outras pessoas da escola, mas ninguem nunca ganhou do Steve. O Bruno e eu competiamos pra ver quem era o pior ;)
As nossas aulas eram meio chatas na verdade, mas eram super uteis - aprendemos espanhol! No comeco ficamos em turmas separadas, mas depois juntaram as turmas e ficamos juntos. A maioria dos nossos colegas eram suecos. A professora, Susi, era uma figura. Ela namorava um sueco, e os dois estavam sempre pelos bares de El Puerto. Sempre encontravamos ela de noite, e era super engracado, ela sempre nos falava coisas engracadas. A escola tinha uns programas bem legais: sempre tinha algo, toda semana tinha aula de cultura (que costumava ser sobre um assunto interessante, como o ETA, ou cinema espanhol) e aula de culinaria (comida gratis!, segundo o Steve). Alem disso, eles sempre organizavam uns passeios, uns programas de noite, umas viagens.
A praia era muito boa (pra europa, claro, nem se compara as praias brasileiras). Tinha uma enorme faixa de areia, a areia era super fininha, a temperatura da agua era boa... o mar nao tinha nenhuma onda, mas tudo bem, pelo menos dava pra ficar nadando, mas tinha muuitas algas. Era bem ruim entrar no mar e sentir as algas se enroscando nas nossas pernas. Essa era a praia "la puntilla". Tinha muitas, muitas outras praias em El Puerto, mas como estavamos de ferias e sem vontade nenhuma de caminhar naquele calor insuportavel, conhecemos so mais uma -"La Muralla". Parece que tinha ate praias com ondas, mas nao conhecemos... outro dia voltamos pra la pra conhecer tudo isso.
O bom de viajar assim e que conhecemos muita gente de muitos paises, e encontramos bons amigos em algumas dessas pessoas. Uma pena que tenhamos ficado so um mes por la - so nos ultimos dias nos aproximamos de muita gente legal. Uma pena maior que essas amizades se percam no tempo, e principalmente no espaco. Enfim, ficam as memorias, isso que importa.
A mudanca de ambiente foi brusca com nossa vinda pra Londres. Saimos de uma prainha pequeninha ensolarada e chegamos na meior metropole europeia, onde a chuva e o frio sao tradicionais mesmo no verao. Trocamos ferias na praia pelo stress de dois cursos de verao na LSE. Largamos a tranquilidade litoranea pelo alvo da vez da Al Qaeda. Mas ainda assim adoramos. Adoramos Londres. Nao sei bem porque, essa cidade tem alguma coisa que apaixona. A nossa primeira semana foi isso, esse encatamento por Londres, mas foi tambem um stress - achamos que seria facil achar lugar pra ficar, mas nao foi MESMO. No fim ficamos tres semanas no albergue, mas alugamos um quarto bem pertinho da LSE, na zona 1, sem precisar pegar onibus ou metro (o que e uma enorme vantagem nesses tempos de bomba). A casa e sua proprietaria sao um capitulo a parte - outro dia contamos. Enfim, estamos bem instalados, nos encontrando esporadicamente com nossos amigos brasileiros, e hoje e o ultimo dia de aula. A LSE foi otima, aproveitamos muito os cursos que fizemos, foram realmente otimos. Uma pena que na segunda parte do segundo curso minha febre tenha resolvido ficar forte novamente. Por isso nao estou fazendo a prova - nenhuma condicao de estudar. Anteontem fomos a um bar com os professores (um russo e o outro italiano), foi super bom, e sempre bom conversar com pessoas de nacionalidades diferentes sobre assuntos variados, e melhor ainda se essas pessoas sao economistas e super inteligentes. Hoje mais tarde tem festa de despedida da Summer School. I can't wait...
Nosso futuro e incerto. Eu pretendo trabalhar, acho que vamos pra Alemanha depois, mas o que vai mesmo acontecer eu nao sei. So posso dizer que vamos mantendo todos informados. E aguardem: fotos ate no maximo sabado!